Translate / Traduza

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

IP Casa de Oração - Rua Raposo da Fonseca, 934 - Guaianases - São Paulo: Conselhos sábios para um casamento bem sucedido

IP Casa de Oração - Rua Raposo da Fonseca, 934 - Guaianases - São Paulo: Conselhos sábios para um casamento bem sucedido: Conselhos sábios para um casamento bem sucedido Introdução: O Casamento foi instituído por Deus para trazer prazer ao homem, trazer alegria ...

Intimidade com Deus

Intimidade com Deus
Leitura Bíblica

Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo (Salmos 27-4).
Mais há amigo mais chegado do que um irmão (Provérbios 18.24)


Intimidade é ter uma relação de amizade, estreitamento de laços com uma pessoa especial. E Jesus, através de seu sacrifício na cruz, tornou livre nosso acesso a Deus. Laços estes que o próprio homem quebrou no Éden, quando desobedeceu ao Senhor dando ouvidos à serpente.
E ainda é o pecado que separa o homem de Deus e causa o fim, a morte deste em todos os aspectos da vida, em todas as relações, não só apenas entre o homem e Deus. Ir contra as regras sempre causa algum efeito negativo, trás sempre consequências que por mais conscientes, são inesperadas.
Muitas pessoas acreditam que ter intimidade com Deus é apenas obedecê-lo, seguir regras e algumas ordens dispersas, mas ter um relacionamento com Deus está ligado a algo mais, é procurar ter amizade de fato com Ele através do contato direto.
E como se dá este contato? Bem lei de novo o versículo 4 de Salmos 27: Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo.


Passo a Passo?
Preste atenção, muita atenção: Primeiro devemos orar, falar com Deus sobre nossa intenção de sermos mais íntimos com Ele: Uma coisa pedi ao Senhor. Sim, o salmista queria estar mais próximo de Deus e resolveu seguir alguns passos. Primeiro ele pediu ao Senhor. Mas não ficou só nisto, ele deu mais um passo: e a buscarei. Sim, ele soube que não era apenas orar ao senhor e manter um diálogo solitário e sem sentido, sabia que tinha que ir além do pedir uma coisa, tinha que fazer a sua parte.
Orar é dever de todos os cristãos, saber o que pedir também, mas estamos aqui falando sobre estreitamento de relacionamento e isto leva mais tempo. Quando o salmista entendeu isto, afirmou que buscaria ter o que pediu. Só que querer viver em comunhão com Deus vai além do Pedir e Buscar, implica também em saber o que se quer desta relação. O salmista sabia. Ele queria morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, mas o que ele ganharia com isto? É isto que nós muitas vezes não entendemos. O salmista não queria nada para si, ele estava pedindo e buscando algo especial, afinal, contemplar a formosura do Senhor, é ter uma relação de amor com Deus. Sim, contemplar a formosura de uma flor,por exemplo, é ser tocado pelo que ela representa, mas não é estar preso a símbolos apenas, é mais real, afinal você pode tocar uma flor, pode sentir a doçura de um poema, sentir as notas de uma boa música. Assim, contemplar a formosura do Senhor, é viver Deus de forma plena, como vivemos com as pessoas de nosso dia – a – dia, que nos envolve por sua beleza. Qual é a maior característica de Deus? O Amor. A formosura do Senhor está no Amor que Ele teve e tem por todos nós, sendo nós ainda pecadores. O Senhor Jesus diz que Ele nos amou primeiro. Que amor é este? Deus nos presenteou com a Vida Eterna e nós abrimos mão dela quando criou o Homem, mas só homem caiu e perdeu esta vantagem, este benefício maravilhoso, que só pode ser refeito com a morte de um inocente. Deus, em seu Amor, deu-nos esta nova oportunidade através de seu filho Jesus, fomos a Ele religados, temos de novo direito a Vida Eterna. Este Amor é a Formosura de nosso Deus e é ela que devemos contemplar, mas não só contemplá-la, mas refletirmos, amando o próximo.
Viver na Casa do Senhor, representa exatamente o que desejamos, quando colocamos em nossos corações só desejos de vivermos em comunhão com Ele. Viver na casa de alguém é ter liberdade de chegar e abrir a geladeira, perguntar o que vai ter para o almoço, preparar o almoço e até, em algumas situações, colocar o lixo para fora. A única diferença é que para você entrar na presença de Deus, é necessário jogar o seu próprio lixo fora, livrar-se das bagagens o afasta de Deus, pois Ele é Santo.
Último passo: e inquirir no seu templo, inquirir é fazer perguntas, é aprender, querer ser íntimo de Deus é a melhor forma de aprendermos mais e mais sobre o que Ele é e representa. É impossível alguém viver uma verdadeira relação de amor com Deus, de amizade plena e se afastar aponto de perder a fé. Quem é íntimo do Senhor conhece sua verdadeira personalidade e deseja ser melhor a cada dia para ter algo igual ao Senhor. A admiração de um amigo, que não nos decepciona, só aumenta em nós, com o convívio e não se acaba.
Muitas pessoas apregoam sua situação de santidade, de intimidade com Deus, mas não aceita ser discípulo e, pior, não ama ao próximo. Se a prova de que somos seus discípulos é o amor que temos pelo próximo, é exatamente esta característica que não nos pode faltar (João 13-35).
A nossa união com Deus, através de Jesus só é possível quando aceitamos ao Senhor Jesus, ela se consolida através do novo nascimento, do procurar viver dia a dia com o Senhor e se perpetuará quando deixarmos este nosso corpo e, trajando apenas nossos corpos celestiais, estaremos afinal definitivamente com Deus, em nosso encontro final (1 Tessalonicenses 4:17).
Que possamos ter em nós o desejo real de vivermos em comunhão com Deus.
Aleluias! 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Um segredo entre você e Deus...

Um segredo entre você e Deus
Porções Bíblicas
O Amor verdadeiro

Muito se fala em amor entre os cristãos, mas a experiência da maioria das pessoas com este sentimento é no mínimo, uma desilusão. Justamente porque a maioria dos evangélicos amam alardear seus atos filantrópicos e suas campanhas beneficentes, indo contra uma orientação de Jesus: Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente (Mateus 6:3-4).
Sim, Jesus mandou que quando fossemos bom com alguém e lhe alimentássemos, o certo a fazer era esconder dos demais este benefício. Isto além de nos mostrar mais perto dos mandamentos de Deus, também afasta do coração e da mente do atendido todo sentimento de inferioridade.
Devemos nos preocupar com o próximo, com seu bem estar espiritual, físico, emocional e psicológico , isto é o verdadeiro amor: Amar ao próximo como a si mesmo (Marcos 12:31). Sim, nós nos amamos tanto que jamais nos colocaríamos em evidência quando em uma situação de fragilidade. Leia o final do versículo e entenda claramente: Não há outro mandamento maior do que estes (Marcos 12:31).
O verdadeiro amor esconde-se quando é observado, mantêm sua discrição, afinal, como nos ensinou Paulo, o Amor jamais se vangloria. Sim, o verdadeiro amor não precisa ser notado a força, ele aquece o coração do ser que ;e por ele beneficiado e este é o único galardão que o amor precisa.
Devemos sim amar o próximo com o amor singelo, doador, que o Senhor Jesus nos ensinou. Esta Palavra me faz meditar em uma história contada por Ernest Shackleton sobre algo que o marcou profundamente. Vejamos:

Perguntaram certa vez a Ernest Shackleton , famoso explorador britânico da Antártica, qual tinha sido o momento mais terrível que ele passara no continente gelado. Alguém poderia pensar que ele contaria a história de alguma terrível nevasca polar, mas não foi isso. Contou que seu mais terrível momento veio certa noite quando ele e seus homens estavam amontoados numa cabana de emergência, tendo sido distribuídas as últimas porções de alimento.
Enquanto seus homens dormiam profundamente, Shackleton permanecia acordado, com os olhos semicerrados. De repente, viu um movimento sorrateiro de um de seus homens. Espiando naquela direção, ele viu que o homem furtivamente ia na direção de outro e retirava um pacote de biscoitos da mochila de seu companheiro. Shackleton ficou chocado! Até aquele momento, ele teria confiado a própria vida àquele homem. Agora tinha suas dúvidas.
Mas então, enquanto observava, percebeu que o homem abria seu próprio pacote de biscoitos, tirava de lá o último bocado de alimento, colocava-o no pacote do outro homem e o recolocava na mochila do companheiro.
Ao narrar a história, Shackleton disse: "Não ouso dizer o nome daquele homem. Acho que seu gesto foi um segredo entre ele e Deus."

Conclusão
Que possamos nos lembrar deste exemplo de amor, amor silencioso, que aceita o esquecimento por gratidão para não expor a fragilidade de um amigo.
Foi isto que Jesus nos ensinou quando sentou-se à mesa com pecadores, quando quebrou as bancas dos vendedores do Templo e quando morreu de braços abertos por cada um de nós, sendo nós ainda pecadores.
Sim, que possamos atender ao próximo com amor e bondade,fazendo deste ato, um segredo entre Deus e nós!

Créditos: Fotos
Ernest Shackleton  Wikipédia'
Mãos Entrelaçadas Loucos por Deus

domingo, 29 de janeiro de 2012

Filhos – um assunto que não acaba

Filhos – um assunto que não acaba
Introdução
Alguém já disse que você pode deixar de ser tudo, menos pai e esta é uma grande verdade, mas existem família que parecem pensar diferente, já que erroneamente acreditam que a educação dos filhos é algo para ser tratado mais a frente. No entanto o sábio ao escrever sobre filhos ensinou que devemos educá-los enquanto menino: Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele (Provérbios 22:6) e deixa claro que só isto pode evitar que ele esqueça os ensinamentos do lar. Na verdade esquecemos que as crianças aprendem pelo que observam dos atos dos pais e das atitudes que os pais admiram nos outros.
Pais e Filhos
Os pais devem ensinar as crianças desde a mais tenra idade justamente para criar neles o piso basilar que os fará crescer seguindo passos definidos durante seu crescimento. Muitos casais planejam suas famílias sem ao menos pensar na forma que irão criar seus filhos e depois, quando eles chegam decidem que os educarão e lhes darão limites quando alcançarem a puberdade, esquecem-se de sua própria adolescência e da rebeldia que surgiu durante ela.
Sim, os adolescente tendem a se rebelar contra os limites pois geralmente não entendem para que serve. Por isto mesmo durante o processo educacional os pais devem ensinar sobre causa-efeito, afinal quando eles aprendem desde cedo sobre consequências aprendem a ser um ser humano consciente e observador, evitando passar por situações que lhes tragam prejuízos. E como se ensina algo de forma que eles aprendam? Ora, simplesmente ensinando sempre, aproveitando todas as oportunidades para passar a eles as diretrizes familiares: E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te (Deuteronômio 6:6-7).
Sempre devemos manter nossos ensinamentos baseados na sabedoria. Nada de ensinar algo que não é proveitoso aos filhos ou apenas por implicância: Abre a sua boca com sabedoria, e o ensino da benevolência está na sua língua (Provérbios 314-26). Sim, mesmo o disciplinar seja em amor. Onde há amor não há contenda.
Vivemos uma época em que existem muitas formas de educação dos filhos e alguns utilizam de técnicas de castigo que significam ficar em um lugar da casa “pensando”, mas existe diferença entre violência física e umas varadas. A Bíblia diz algo sobre isto: Aquele que poupa a vara aborrece a seu filho; mas quem o ama, a seu tempo o castiga (Provérbios 13:24), sim, disciplinar através de um castigo físico como algumas varadas e um castigo relevante como tirar algo de uma criança, gera mais efeito do que incentivá-lo a pensar, até porque pensar deve ser uma atividade permanente e não apenas quando cometemos nossos erros particulares. A Sociedade que abomina a educação disciplinar dos filhos é a mesma que constantemente abre discussão sobre a Pena de Morte a diminuição da Maioridade, classificando a Lei como permissiva por soltar ou punir de forma leve grandes crimes cometidos por crianças e adolescentes. Não conseguem entender que filhos bem criados são adolescentes e adultos melhor preparados.
A correção adequada não torna ninguém traumatizado e enfurecido, muito menos os torna marginais. Na verdade uma pessoa realmente inteligente sabe que na maioria dos casos das pessoas de mente perigosas e serial killer, o que os torna perigoso é viver em família desequilibrada aonde havia permissividade. Justamente a falta de limite e respeito é que os fizeram perigosos, escória da Sociedade: A vara e a repreensão dão sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe (Provérbios 29:15).
Claro que vai chegar a hora em que ensinar não vai mais ser preciso, ou não vai adiantar mais, o melhor é estarem certos, enquanto pais, que fizeram todo o possível para ensiná-los e esperar o que farão com o que aprenderam em casa. Nada de fazer cobranças desnecessárias, afinal elas podem contribuir para o fim da paz no lar. Muitas vezes confiar no filho vai trazer a certeza de que eles realmente aprenderam o que foi ensinado e colocarão em prática tudo o que vivenciaram no lar. E cobrar quando desnecessário tira deles o prazer de obedecer e agradar, além de estressá-los desnecessariamente: Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo (Colossenses 3:21).
Sim, mesmo quando parece que estão ciente de todas as consequências, os pais jamais devem se impor aos filhos quando jovens ou adultos. Por isso mesmo as normas que os farão obedecer devem ser apresentadas na infância e só assim eles jamais desobedecerão. A paz no lar deve sempre depender dos pais. São os pais quem devem estar prontos para dissolver os problemas entre irmãos e orientar quando for necessário, tenha os filhos a idade que tiver. Isto só será possível quando forem pais que buscam ter paz e tranquilidade para administrarem o lar. Aqui cabe uma orientação que foi dada aos irmãos de Roma: Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens (Romanos 12:18). Parafraseando Paulo: Se for possível, quanto depender de vocês pais, tenham paz com vossos filhos.
E voltando ao início, filhos são para sempre. Cuide bem, pois quem cuida do jardim vê primeiro as borboletas.

sábado, 28 de janeiro de 2012

Conselhos sábios para um casamento bem sucedido

Conselhos sábios para um casamento bem sucedido
Introdução:
O Casamento foi instituído por Deus para trazer prazer ao homem, trazer alegria de estar bem acompanhado, amando e sendo amado: Seja bendito o teu manancial; e regozija-te na mulher da tua mocidade. Como corça amorosa, e graciosa cabra montesa saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê encantado perpetuamente (Provérbios 5:18-19).

O Casamento e a Bíblia
Talvez uma das maiores ou mais integrantes perguntas sobre a Bíblia seja o que ela fala sobre o casamento.
Na verdade em Gênesis o Senhor Deus instituiu o casamento ainda no Jardim do Éden. Adão e Eva, o primeiro casal iniciou ali a primeira família. O Senhor instituiu ali o casamento como um laço permanente entre homem e mulher: Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne (Gênesis 2- 24).
A Bíblia além de esclarecer que tipo de relação será o casamento, mostra outras especificações que o torna também agradável a ambos, já que ensina desde a postura que cada um deve ter em relação ao outro até como cria os filhos que nascerão deste relacionamento.
Jesus também falou sobre o casamento quando disse: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne? Assim já não são mais dois, mas um só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem (Mateus 19-5 e 6).
A Bíblia nos ensina a melhor forma de escolher um cônjuge, quando nos incentiva a nos casarmos com pessoa que tenha o mesmo propósito que nós. O apóstolo Paulo nos orienta que Não vos prendais a um jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? ou que comunhão tem a luz com as trevas? (2 Coríntios 6:14 ). E esta é uma orientação que deve ser usada em todos os aspectos da vida a dois. Não é só o jugo desigual em relação a fé, devemos tomar cuidado com muitos outros aspectos, os sociais, emocionais e culturais. Um jovem criado em uma família onde a figura do pai é a mais forte deve se casar com alguém que também tem esta mesma criação, pois de outra forma o lar será uma confusão com duas cabeças ou pior, acéfalo, já que ambos ficarão esperando que o outro tome as rédeas do lar.
Claro que a Bíblia ensina que o homem é o cabeça do lar, assim como o Senhor Jesus é o cabeça da Igreja, sua Noiva. E no lar onde o esposo toma para si a responsabilidade de gerir o lar tudo anda bem, já que esta gerência é feita de acordo e o diálogo é uma saída para resolver as questões pertinentes do próprio casamento. E quando a relação entre ambos é sadia, este diálogo – necessário a todo o relacionamento humano – é adequado à situação e ambos podem optar, existindo assim a sujeição de um ou outro à opinião do que propõe algo que ambos classificam como importante para que tudo vai bem: Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo ( Efésios 5:21). Sim, diferente do que as feministas gritam, a sujeição no casamento não é uma orientação apenas para as mulheres, é para ambos. O homem deve sim se submeter a esposa quando ela está com a razão, afinal, Deus fez tanto um como o outro com capacidade de raciocínio e assim, ambos podem tomar decisões para melhorar o Projeto de vida que tem em comum. Vale salientar que o casamento em si, é exatamente isto: um Projeto de Vida em Comum.
Quando decidimos com quem casar, traçamos também os passos desta relação.

Conselho para a Sociedade
A Sociedade deve olhar para o Lar e o Casamento como algo sagrado a ser respeitado com honras. Veja: Honrado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; pois aos devassos e adúlteros, Deus os julgará (Hebreus 13:4 ). Honrar os laços entre duas pessoas trás paz a Sociedade em geral, por isto todos devem respeitar a constituição de um lar.
Deus ao instituir os mandamentos ensinou algo maravilhoso que pode ser colocado em prática em relação ao casamento: Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo (Êxodo 20:17). Ora, se a Sociedade respeitar os laços do Casamento de seus componentes, fugindo da cobiça, dos desejos vãos, tudo correrá bem. E é fácil fugir da aparência do mal quando se esta avisado. O adultério desagrada ao Senhor e é hoje um dos grandes responsáveis pelo fim dos casamentos em nossos dias, assim sendo, evitá-los se torna fácil quando procuramos fazer aos outros apenas o que gostaríamos que fizessem a nós mesmo,

Conselhos para o Homem

Tratar a esposa com carinho, sabedor de que ela merece ser tratada como alguém especial, como particular tesouro, deve ser uma necessidade do homem, enquanto esposo. Veja este conselho do apóstolo Pedro: Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não sejam impedidas as vossas orações (1 Pedro 3:7)
O esposo deve tratar a esposa com amor e respeito. Como alguém que merece seus cuidados: Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, a fim de a santificar, tendo-a purificado com a lavagem da água, pela palavra, para apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo (Efésios 5:25-28) .
O esposo deve entender isto: Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo, assim sendo, respeita melhor a esposa, tratando-a com o carinho devido. Na verdade cabe aqui outro verso bíblico: A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco; pois quem ama ao próximo tem cumprido a lei (Romanos13-8), sim, entre nós só pode existir uma dívida: Amor. E é algo bom de ter por dívida, afinal o amor nunca acaba e em reciprocidade trás a paz de espírito tão necessária aos nossos dias.

Conselhos para a Mulher

Bem, fica para as esposas um conselho maravilhoso, que muitos destorcem e mudam seu verdadeiro significado, mas a mulher que tem e si a comunhão com o Espírito Santo entende e coloca em prática sem discutir: Vós, mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor; porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o Salvador do corpo. Mas, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos (Efésios 5:22-24).
Na verdade submeter-se abrange muito mais, pois se estamos em um mesmo propósito, temos prazer em trabalhar para que determinado projeto seja elaborado a contento, para o bem comum. Neste caso, para que nossa relação seja feliz e adequada para dar continuidade da família, ambos vamos abrir mão de algo para que tudo dê certo. E se este esposo que espera que sua mulher seja sua parceira a trata bem, então ela não vai encontrar dificuldade em fazer tudo para agradá-lo também.

Violência no lar

Muitos casais se questionam sobre como proceder nos momentos em que a situação foge ao controle, mas devemos lembrar que antes de mais nada que devemos evitar a briga e não contorná-la.
Desde a discussão verbal, devemos evitar que os ânimos se aflorem aponto de sair do limite, afinal a paz deve sempre ser nossa primeira opção e devemos em todo tempo fugirmos da violência: Se for possível, quanto estiver em vós, tende paz com todos os homens (Romanos 12:18). E dentro de nosso lar, a paz sempre depende de nós, nós devemos desejá-la e trabalharmos para alcançá-la.
As palavras ásperas ferem mais que a violência física e ambas não podem existir no casamento – seja ele cristão ou não - leia: Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não as trateis asperamente (Colossenses 3:19). Sim, mas não é porque esta sendo dirigido aos esposos que a mulher deve tomar as palavras ásperas como arma feminina, na verdade a mulher que age assim, destrói seu lar com suas mãos, pois esta agindo tolamente.
Nos desentendermos é até normal. Muitos casais pensam de forma diferente sobre vários aspectos, mas não vamos dar lugar ao pecado. A ira pode sim ser evitada, ou abortada: Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira (Efésios 4:26).
Muitos dos problemas do casal é evitado quando ambos procuram adequar seus desejos ao Projeto Comum: Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos (Romanos 12:16). Sim, suas ambições devem ser limitada à pose do casal, assim evita-se muitas das discussões desnecessárias. Quando agimos com humildade conseguimos mais do que quando agimos impulsivamente e lançamos nosso sonho imediato aonde nossas mãos ainda não alcançam. Quando agimos direito um com o outro evitamos as guerras desnecessárias e palavras que possam machucar definitivamente: Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz (Efésios 4:2-3). Sim, a longanimidade, mansidão e humildade garantem a paz no lar.

Durabilidade do Casamento
Bem, este é um tema recorrente. Alguém sempre questiona sobre quanto tempo deve durar o casamento. Acho que é algo que devemos ter em mente: Até que a morte nos separe. A Bíblia nos ensina que: Porque a mulher casada está ligada pela lei a seu marido enquanto ele viver; mas, se ele morrer, ela está livre da lei do marido (Romanos 7:2). E o que vale para a esposa, vale para o esposo também, então os laços do casamento seguem até a morte de um dos cônjuges, terminando assim.
Alguns insistem que o casamento deve ser único por ser perpétuo e válido para a vida eterna, mas tanto o versículo acima quanto as palavras de Jesus em Mateus 22-30 desmistificam esta teoria antibíblica:
pois na ressurreição nem se casam nem se dão em casamento; mas serão como os anjos no céu. O casamento aqui é algo do homem físico e não do espiritual, que fique bem claro.

Divórcio
Segundo a Bíblia o divórcio só é permitido quando a adultério e comprovação deste:
Eu, porém, vos digo que todo aquele que repudia sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, a faz adúltera; e quem casar com a repudiada, comete adultério (Mateus 5:32). Antes de Jesus se divorciava por qualquer motivo, mas Jesus desfez isto, validando o divórcio apenas quando a desrespeito aos laços do casamento mediante o adultério.
Muitos procuram motivos diversos para desfazer esta união, mas devemos nos lembrar das características do como é apresentado por Paulo em I Coríntios 13 - Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba; havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciências, passará. Agora, pois permanecem a fé, a esperança e o Amor. Porém o maior deste é o Amor. O Amor é tão importante que tudo um dia vai findar, mas jamais o Amor.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O Pai enquanto sacerdote

O Pai enquanto sacerdote

Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e toda a tua casa. (Atos 16.31)

Somos sacerdotes e como tal devemos manter a Palavra ardendo acesa (Apocalipse 5) E o sacerdócio no lar é uma necessidade atual.
A Sociedade esta permitindo que órgãos públicos dominem o pensamento familiar com leis que limitam a autoridade dos pais.
Enquanto isto os pais cristãos se acanham e esquecem de sua responsabilidade no lar. É necessário que o pai governe bem sua casa, crie os filhos em disciplina e no respeito, um pai que age assim é um espelho adequado para refletir a imagem de Deus (I Timóteo 3 -2 em diante).
Pais que criam seus filhos nestas bases tem por resultado filhos crentes e família unida (Tito 1-5 e 6). Criar filhos para serem pessoas melhores vai além de dar alguns conselhos esparsos, vai além, é investir tempo com os filhos, para introduzir valores morais, cristãos e familiares, afinal toda família tem sua própria ética e é passada aos filhos pelo exemplo e através de conselhos. Como pai um cristão deve sempre envolver sua família. Jós fazia isto, quando acreditava que seus filhos pudessem estar em pecado ele sacrificava ao Senhor para que eles fossem perdoados. Josué é outro pai que sabia envolver sua família em seus projetos, tanto que quando percebeu que o povo estava afastando de Deus, ele afirmou categoricamente que sua família e ele serviriam ao Senhor.
Muitas pessoas se tornam muito individualista, faz parte da sociedade atual ser egoísta e pensar apenas em si. Mas educar filhos requer tempo, justamente por isto, devemos ser pais responsáveis, e jamais deixar para os filhos as decisões sobre sua vida, sejam estas éticas ou espirituais. Tanto Jó quanto Josué sabiam disto e criaram seus filhos com regras e por isto alcançaram sucesso.
Alguns pais erroneamente confunde sobre responsabilidade pessoal da salvação, já que a Bíblia afirma que cada um dará conta de si mesmo a Deus – mas isto na verdade quer dizer apenas sobre prestar conta a Deus – quando o assunto é dar base é responsabilidade dos pais. Na verdade Deus tem um plano para a família, ele chamou Abraão e Sara, salvou Noé e sua família, isto prova exatamente o planejar de Deus para as famílias.
Para que seu lar seja abençoado não espere que sua esposa ore pelo seu lar, faça a sua parte. É por isto mesmo que o homem é o cabeça do lar e do homem será cobrado esta responsabilidade.
No casamento cada um tem sua responsabilidade e cada um tem que fazer sua parte para que tudo de certo, seja no casamento em sim, como em questões que o envolve. E claro, na educação dos filhos.
Mesmo quando a esposa não é convertida, o marido tem que ter postura de chefe da casa, mas nunca esquecer de agir com sabedoria e amor.
Muitos pais acham que basta suprir as necessidades materiais e emocionais de seus filhos mais vais além, ultrapassa estas necessidades, temos que suprir também as espirituais e irmos mais além, acrescentado os parâmetros morais que lhe manterão como uma pessoa de ações éticas, além de um bom cristão.


Os filhos não são nossos, são apenas nossa responsabilidade, estão aos nossos cuidados, não fazem parte da decoração da casa são providos de racionalidade, espírito e não podemos apenas alimentar seus corpos, nossa responsabilidade vai mais além.
Ensinar além dos valores humanos, é ordem divina, que vem junto daquela que afirma que não devemos provocar-lhes a ira (Efésios 6.4).

Ministrar sobre os filhos é responsabilidade dos pais e não da Igreja ou da Sociedade. E Deus espera que cumpramos nossa parte, leia: (…) e as farás saber aos teus filhos e aos filhos de teus filhos (Deuteronômio 4.9). E vai mais além porque filhos criados sobre a Lei do Senhor permanecem, assim como permanecem bons aqueles que são criados sobre normais morais rígidas e sadias: Ensina a criança no caminho em que deve andar, a ainda quando for velho, não se desviará dele (Provérbios 22.6) e ensinar os filhos na Lei do Senhor é a melhor educação que uma família pode dar aos filhos.



quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Viver uma experiência com Deus?

Viver uma experiência com Deus?
Experiências extrassensoriais nada tem a ver com o viver em comunhão com Deus!

Muitos cristãos hoje estão correndo atrás de experiências especiais e outros dizem que as vivenciaram. Contam histórias magníficas dos sentimentos que tiveram ao vivenciá-las, mas quando analisamos o conjunto não encontramos comprovação do que se diz, simplesmente por falta de testemunho.
As pessoas se emocionam e acreditam que viveram uma experiência com Deus. Algumas horas depois sentem-se deprimidas e sem saída, como se nada tivesse vivido.
As pessoas estão aceitando viver alienadas, o que prova a falta de compromisso com Deus, falta de arrependimento e conversão.
E o que é conversão se não observar o ponto em que se chegou e mudar a rota. Muitas vezes fugir desta alienações se torna difícil simplesmente porque não olhamos para nosso caminho e não aceitamos que erramos em algum lugar da caminhada, não nos humilhamos a ponto de reconhecer aonde erramos e a Palavra nos adverte: Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres (Apocalipse 2:5).
Converter é mudar de caminho, é voltar a rota principal, e, se por acaso quando observamos a Bíblia e notamos que estávamos desde o início seguindo um caminho errado, reposicionar desde ali e seguir uma nova rota.
Para a conversão é sempre necessário ter humildade de reconhecer sua atual condição.
A própria Bíblia nos ensina que Deus não se agrada daquele que abandona o primeiro amor:
Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor (Apocalipse 2:4).
Claro que muitas das vezes o povo segue alienado por falta de observar o comportamento daqueles que se dizem líderes cristãos, mas andam afastados da Palavra, a estes irmãos, que temem analisar o comportamento de seus pastores, o Senhor diz, elogiando a igreja de Éfeso: Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos (Apocalipse 2:2). Ora, podemos sim colocar à prova aos que se apresentam como nossos líderes, afinal a Palavra nos dá base para isto, não só nesta passagem, mas em muitas outras. E se olhamos os frutos – todos os frutos e não apenas as manifestações espirituais vivenciadas por estes – descobrimos que na verdade são os pastores que se alimentam da lã das ovelhas.
Jesus disse: Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? (Mateus 7-16). Quando Ele adverte que uma árvore não pode dar outro tipo de frutos que não o seu natural esta abrindo nossos olhos para observarmos bem todos os frutos de uma pessoa e não apenas alguns. E nós acabamos nos enganando porque olhamos para as pessoas de forma superficial.
Não espere que estes líderes (Ezequiel 34) tenham um encontro final com Cristo para serem cobrados, você, enquanto ovelha pode procurar na Palavra e através da orientação do Espírito Santo, um líder capacitado para te ajudar a seguir adiante, sem cometer erros e viver alienado da fé.
Reconheça que você está seguindo uma fé doentia, sem princípios bíblicos e mude sua rota.
Guradar-nos dos falsos líderes é uma ordem de Jesus, quando disse: Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores (Mateus 7-15) e nos disse isto ainda afirmando que é para observarmos os frutos da árvore (16), dizendo que uma árvore só dá frutos bons se for boa.
Infelizmente muitos acreditam que além de evitar fugir destas situações, mesmo reconhecendo como erradas, acabam vivendo entre este mal, esquecem das Palavras de Jesus à Igreja de Tiatira: Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria (Apocalipse 2:20). Muitos até acreditando que dizer a verdade pode colocar um irmão fraco – e errado – em perigo de fé. Que perigo de fé? Perigo da fé dos novos que se achegam a Deus, pois estes sim podem ser ensinados a viver uma fé alienada.
Muitos cantam aqueles louvores que parecem mantras para purificar a mente, repetem alucinadamente uma frase de uma canção – que eles erroneamente insistem em chamar de louvor – e o povo acaba vivenciando uma emoção carnal semelhante ao êxtase, que logo é chamada de experiência com Deus. Como estão longe da verdade!
Viver em comunhão com Deus é que nos garante uma experiência diferente com Deus e está relacionada a mudar sua posição frente ao próximo.
Viver um experiência com Deus é se tornar testemunho de uma pessoa plena em exemplos diários, que sabe quais são seus limites e respeita e ama o próximo como Jesus amou. Para mim Estevão viveu uma experiência com Deus, ma so que prova minha opinião não é ele ter tido uma visão. O que evidencia sua comunhão com Deus é o fato de perdoar seus agressores em seu momento de dor maior.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Barnabé – Exemplo de Generosidade

Barnabé – Exemplo de Generosidade

Barnabé, cujo codinome do discípulo José, que significa Filho da Consolação e que aparece na História da Igreja, ainda no livor de Atos: Então José, cognominado pelos apóstolos, Barnabé (que, traduzido, é Filho da consolação), levita, natural de Chipre, (Atos 4:36), é uma figura que nos impressiona pelo seu caráter de bondade e amor a Obra de Deus. Ele era um grande exemplo de Generosidade, afinal, decidiu de forma voluntária, oferecer seu tempo e posses para promover o Evangelho e auxiliar seus irmãos.
Assim como Estevão, ele não se prendia a uma única tarefa e procurava atender aos novos convertidos com sua palavra de apoio e sua fé, como fez com os irmãos recém-convertidos da Antioquia: Tendo ele chegado e, vendo a graça de Deus, alegrou-se e exortava a todos a que, com firmeza de coração, permanecessem no Senhor (Atos 9-23). Afinal por ser cheio do Espírito Santo e manter acesa a sua fé, era um bom professor e um grande profeta, era amado
pelos apóstolos e era recebido como um deles, mesmo não tendo recebido este título no início, isto porque era reconhecido pela sua comunhão com Deus, através do fato de ser por eles visto como um enviado do Espírito Santo (Atos 13: 1-4).
Barnabé também é um exemplo de amizade, apesar de ao final, entre ele e Paulo houve uma divisão pela diferença de opinião, mas enquanto estiveram juntos, a amizade e o ideal que os unia fossem especial para ambos. Eles se conheceram por volta de 3 a 4 anos da conversão de Paulo, e foram amigos por muitos anos, foi este mesmo discípulo que apresentou Paulo a Pedro e Tiago.
Por estar sempre disposto a lutar pelo Reino, Barnabé foi aproveitado, por seu conhecimento nato da língua grega, e este foi enviado a Antioquia. Quando esta igreja cresceu, ele insistiu com Paulo para que fosse trabalhar com este, no que foi ouvido, afinal este o seguiu.
Sua comunhão com Deus lhe possibilitou juntar alimento para a fome que fora avisada, através do profeta Acabo, que viria sobre a terra, colaboração esta que foi levada a Judeia através de Paulo e do próprio Barnabé.

Barnabé e Paulo ainda viajaram para Chipre, onde evangelizaram Sérgio Paulo, o procônsul e pela Asa Menor. De volta a Antioquia separaram-se, por discordarem sobre João Marcos, mas nem esta situação rompeu com o compromisso de continuar levando o Evangelho, cada um seguiu seu caminho com o discípulos escolhido, Barnabé seguiu para Chipre com João Marcos.




terça-feira, 24 de janeiro de 2012

IP Casa de Oração - Rua Raposo da Fonseca, 934 - Guaianases - São Paulo: Vai Ter Festa!

IP Casa de Oração - Rua Raposo da Fonseca, 934 - Guaianases - São Paulo: Vai Ter Festa!: Vai ter Festa! PastorAilton Soares João 2 – Vai ter Festa Introdução Hoje, ao encaminhar-me para o trabalho, deparei-me com um lugar ...

Igreja Pentecostal Casa de Oração

Hoje louvamos a Deus, por mais uma, vitória que Deus nos concedeu, por alguns anos orei buscando de Deus um Lugar com uma Estrutura melhor para receber os Irmãos e finalmente Deus entrou com providência nos dando um templo maior e melhor, louvo a Deus pela vida de cada Irmão que doou algumas horas de seu tempo para a realização deste projeto, aqueles que tiraram recursos do próprio bolso para que isto fosse realizado, que passaram algumas noites ajudando e muitas vezes com inimigo lutando contra este projeto de Deus... Senhor Jesus muito Obrigado por atender a oração deste Pastor, Irmãos que Deus abençoe a vida de todos Vocês, por acreditarem nos Sonhos deste Pastor... Amo Vocês meus filhos.

Agora a Missão é outra encher este Templo de VIDAS.

     Pastor Sérgio.


Os trabalhos começaram com a retirada das telhas que estavam em mal estado, a colocação das telhas novas e do vigamento provisório.









Primeiro foi feita a concha acústica (que por sinal ficou linda e quase fez o Pastor Sérgio chorar de emoção). E depois foi feito o paisagismo, a textura, pintura, retirada dos entulhos, lavagem do forro (que no final foi substituído por um forro novinho) e por final a limpeza do salão e do quintal.














Até o pequeno Davi ajudou rsrs... Muito fofo esse bebê!!!











Foi um dia de trabalho puxado, mas em nenhum momento teve alguém por algum motivo com a cara fechada ou reclamando de cansaço, pelo contrário passamos um dia agradabilíssimo, trabalhando Deus nos proporcionou momentos muito alegres.

Já foram feitas mais algumas modificações e também ficaram acabamentos ainda por fazer, o portão novo também já foi colocado, mas isso os irmãos vão ver numa outra postagem, vamos postar fotos em breve da inauguração oficial da Igreja Pentecostal Casa de Oração.
Agradecemos a todos, mesmo aos que não puderam estar à frente de trabalho, mas que em oração estiveram lá e pode ter certeza que foi muito importante.


Graça e Paz!






segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

IP Casa de Oração - Rua Raposo da Fonseca, 934 - Guaianases - São Paulo: Estevão - Exemplo de Determinação

IP Casa de Oração - Rua Raposo da Fonseca, 934 - Guaianases - São Paulo: Estevão - Exemplo de Determinação: Estêvão- Exemplo de Determinação Claro que as dificuldades vem sobre nossas vidas quando nos colocamos a disposição de fazermos a vontade d...

O servo infiel

O servo infiel
Mateus 25:14-30

Mais uma vez o Senhor Jesus usa a Parábola como meio de ensino aos seus discípulos. Desta feita ele conta a Parábola dos Dez Talentos.
Observando-a temos aqui 3 personagens, mas vamos nos ater ao Terceiro. Sim, pois este foi o que não se esforçou, manteve em sua guarda o que não lhe pertencia e não fez o que era esperado dele.
O primeiro esforçou-se e dobrou o que lhe foi entregue, o segundo também, mediante aos seu esforço conseguiu fazer o mesmo, quem tinha dez conseguiu vinte, quem tinha cinco teve dez. Já o Terceiro é um infame, teve oportunidade, mas teve medo.
Sim, ele teve a mesma oportunidade que os demais, mas cruzou os braços.
Porque ele fez isto? A História dele é a nossa.
Sim, a história dele é a nossa, quando nos escondemos em nossa pouca fé, em nossa pequenez e nos acovardamos, afirmando que nada podemos fazer.
Aquele servo primeiro ele teve medo de sua pequenez, mas ele recebeu o talento segundo sua competência.
Sim e nós também, se recebemos algo de Deus, recebemos por nossa própria competência, afinal Ele acredita em nosso potencial, acredita que vamos procurar aprimoramento, capacitação. E temos aonde buscar, afinal temos o Espírito Santo e a Palavra nos ensina que se precisamos de ajuda neste aspecto podemos pedir: Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes imprópria; e ser-lhe-á concedida (Tiago 1-5).
Outros antes de nós sentiram-se fracos e informaram ao Senhor quando foram chamados, mas o Senhor lhes garantiu que seriam vitoriosos.
Na passagem de Josué vemos que ele também se sentiu assim, mas o Senhor lhe pediu que fosse forte: Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares (Josué 1-9).
Assim era também com o povo que foi escolhido por Gideão, aquele povo desprezado e amargurado vivia cercado pelos midianitas, mas o Senhor chamou o menor e com ele um Exército menor ainda, mas quem garante a vitória é o mesmo que chama. Só precisamos obedecer a sua Voz e fazer Sua vontade, afinal Ele não nos deixa só.
Em segundo lugar aquele servo teve medo de aplicar, e o que é pior, culpou seu próprio senhor por sua covardia, alegando que conhecia seu caráter e que se algo ruim acontecesse ele seria castigado. E o pior mesmo é você saber que vai ser cobrado e mesmo assim não fazer nada.
Se nos lembrarmos que as Parábolas geralmente classificam alguns personagens como Deus, assim sendo o senhor desta é comparado a Deus, assim sendo aquele homem teve Deus como mal.
Em terceiro lugar, falemos do que ele perdeu muito mais do que poderia ganhar, afinal 1 Talento equivale a 6.000 denário, se o denário valia um dia de trabalho e um talento 6.000 denários, logo um talento equivalia 20 anos de trabalho. Aquele homem em um curto período de tempo, perdeu muito mais do que ganharia em anos de trabalho e recebeu seu castigo da forma que cria.
Devemos tomar cuidado com o que fazemos com o que foi colocado em nossas mãos e fazer o nosso melhor e jamais nos acovardarmos com nossa própria pequenez, pois Deus conta conosco, Ele espera o nosso melhor: Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças [,] (Eclesiastes 9-10).
Diferente deste servo infiel, Josué e todos os outros que se sentiam fracos, buscaram força no Senhor no Senhor, afinal sabiam que a fraqueza trás péssimos resultados: Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena
(Provérbios 24:10).
Que possamos observar os resultados destas vidas, e fazermos como os sábios e jamais como o servo infiel.

Gratos pelo cometário

Siga-nos no Twiiter