Translate / Traduza

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Devocional ICO - Tomé, depois da luta

Resultado de imagem para toméLutar é ir em busca de algo ou de alguém, é vencer os próprios limites. No entanto, depois de uma grande provação, quando a vitória vem, algumas pessoas sentem-se fracas, sem esperança. E nesses momentos não encontra apoio nas outras pessoas. Está sozinho. Para muitos, o vazio que se apodera desta pessoa é uma prova da ingratidão ou da falta de fé. Mas o desanimo depois de uma grande batalha é mais comum do que se imagina. O fim de uma batalha, nem sempre é o fim da guerra e na maioria das vezes as pessoas reagem de forma diferente em situações que parecem iguais aos outros. Cada pessoa reage aos acontecimentos de forma diferente e nós, cristãos, nos acostumamos a esperar que as pessoas saem da angústia salmodiando em alegria. E não é assim.
Somos diferentes de Jesus.
Jesus entendia as pessoas com suas diferenças, respeitando as qualidades e esperando a redenção dos defeitos. Com Pedro funcionou. Jesus acreditou que Pedro se regeneraria e se tornaria um homem corajoso, um servo valioso. Com Judas já foi diferente. Judas seguiu outro caminho e se permitiu ser aquele que trairia Jesus. Tomé tinha outro tempo. Todos passaram pela perda do Mestre.  Todos os envolvidos acreditaram na ressurreição ao verem o túmulo vazio ou terem notícia do acontecido. Tomé não. Só creria se visse, ele mesmo, o Mestre ressuscitado. Jesus respeitou as características de Tomé. Não criticou, não desprezou, simplesmente permitiu que o homem tocasse em suas cicatrizes.
Para aqueles cristãos não havia, até o momento, provação maior. Aquela experiência foi muito forte, pesar, dor, solidão, desesperança, tudo se acumulou sobre eles, vindo em uma velocidade vertiginosa. Em um momento eles tinha Jesus e a dor e o sofrimento eram apenas um aceno do futuro. Eles viviam a rejeição dos líderes e políticos, mas conheciam o amor do povo. Então o povo estava contra todos, seu Mestre estava morto. Eles estavam prestes a dispersar, então Jesus ressuscita!
Era um milagre, uma vitória, o fim do fracasso. No entanto, eles reagiram de forma diferente. Cada um vivenciou a nova experiência de forma diferente. Maria Madalena creu de pronto, os outros foram ver o túmulo e saíram do Jardim crendo, mas Tomé reagiu com temor. Ele não errou. Apenas foi ele mesmo. Os irmãos não o entenderam. Jesus aceitou e respeitou.
Que tal seguirmos esse exemplo do Mestre?

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Devocional ICO - Ser sincero

Tirar toda a cera do rosto, do caráter, das atitudes e se apresente limpo, sincero, diante de Deus e dos homens.
Nosso devocional poderia acabar aqui. Afinal, a sinceridade é algo apregoado por todos, mas, infelizmente, está em falta nos relacionamentos. As pessoas preferem alegres mentiras à dura verdade. E não há sinceridade sem verdade.
Porém, não podemos esquecer que é nossa obrigação, como cristãos e como Protestantes, protestar contra toda e qualquer forma de falsidade no meio do povo de Deus e, de forma mais ampla, na sociedade.
Não adianta declararmos que somos luz e viver uma vida apagada entre os que jazem nas trevas. Somos sal da terra e somos luz do mundo. Sal para mudar o sabor, para limpar, para aclarar o que está errado. E luz  para iluminar, colocando às claras tudo o que está errado. Sendo assim, é nossa função esclarecer sobre comportamentos que não condizem com que é bom e certo para os padrões de Deus.
O mundo praticar o uso indiscriminado de máscaras, para esconder sentimentos, desejos, mágoas, más intenções e tudo o que quer camuflar,  não é certo, mas é esperado, uma vez que e ele vive para agradar a si mesmo. Agora, em nosso meio, entre os que se dizem cristãos, isso não é aceitável, é condenável, e, vai contra os ensinamentos de Deus.
Somos reconhecido como cristãos por sermos pessoas que seguem o exemplo de Cristo - eu deveria seguir, entretanto, há entre nós aqueles que se comportam como os que não seguem a Jesus. É nossa obrigação apontar ao irmão as suas falhas. Eu disse, apontar ao irmão e não, apontar o irmão.
Quando mostro uma ação errada irmão para ele mesmo, estou exercendo o meu dever de Cristão, de como sal, processar a limpeza. Quando mostro uma ação errada do meu irmão para outro, não só estou errando em minha função de Cristão, como estou expondo a vida e falhas dele, gerando confusão, escândalo e desunião. Tudo o que não é construtivo para ele, que por certo, sem reconhecer suas falhas, seguirá seu caminho, perdendo-se dos preceitos de Deus e afastando você da Verdade.
Ser sincero demanda escolhas difíceis, mas ninguém disse que servir ao Senhor seria uma decisão fácil.
Procure agir com sinceridade, seja em relação a você e suas escolhas, seja em relação ao outro e suas falhas, ou ainda, seja em relação a sua fé. Nunca permita caia sobre si o véu da maldade, a máscara da falsa bondade, a capa da insensibilidade, ou ainda, a túnica do orgulho. Livre-se de tudo o que interfere em seu contato com o próximo e com Deus.
Apresente-se diante de Deus e de todos, com rosto limpo, com o coração puro e sempre pronto para estender a mão aqueles que precisam de apoio para levantarem-se e seguirem adiante.
Pense nisso e viva bem!

Gratos pelo cometário

Siga-nos no Twiiter