Translate / Traduza

terça-feira, 10 de maio de 2011

Quando o desanimo vem, abandonar fica mais fácil.

Fraquezas

Há duas características humanas imutáveis: o homem é imagem e semelhança de Deus e o homem tem tendência a abandonar.
Abandonar tudo e todos, por sinal. O homem tende a deixar tudo inacabado, abandona os estudos, a fé, a igreja, o trabalho, a família, o casamento e hoje até filhos são abandonados nas latas de lixo.

No entanto os cristãos não admitem estas duas verdades, já que tornam exclusiva a imagem de Deus, afirmando que só se torna semelhante a ele quem aceita o Evangelho e opta por seguir a Cristo.
A verdade, no entanto é uma só: desde o mais fiel ao mais infame ser humano, todos somos imagem e semelhança de Deus.

Em sua maioria também, os cristãos  não admitem também terem fraquezas. Ser fraco é infidelidade para alguns, só se falando nestas depois que alguém já sucumbiu ao peso de sua cruz.

Não se fala abertamente sobre fraquezas e até os heróis bíblicos são cobertos por uma falsa áurea de superioridade, como se seus super poderes os tirasse do patamar humano. E, alguns pregadores apedrejam os pobres heróis bíblicos, quando não conseguem esconder suas fraquezas. Que o digam Davi, Moisés, Sansão e Salomão, que são apedrejados por suas fraquezas durante grandes pregações sobre os altares do mundo. Há absurdos inenarráveis que saíram do púlpito.

Na Palavra de Domingo,(janeiro/2011) nosso pastor falava sobre as fraquezas que todos temos. E que muitos abandonam até Jesus, como fizeram os apóstolos no momento de sua prisão, no Jardim. O que foi natural, já que eles nada podiam fazer ante o temor que se apoderou de suas vidas ao ver seu Mestre ser levado.
Vale lembrar que eles esperavam um Messias super poderoso, que dissesse de fato aos anjos para descerem em seu auxilio. Todos esperavam isto, e até hoje os judeus ortodoxos ainda o esperam assim,

No entanto, apesar de tudo isto, é válido saber que eles voltaram a seguir a Jesus depois da ressurreição e continuaram fiéis depois de sua ascensão aos céus. Fato este possibilitou o Evangelho chegar até nós por meio do testemunho destes, dado a coragem que adquiriram.

Assim fica a experiência destes primeiros fiéis a nós, que se cairmos, podemos nos levantar e sermos até melhores em nossa caminhada.

Em resumo
Na verdade é corrente a muitos teólogos que o homem perdeu a semelhança divina quando da queda do homem. Muitos pregam esta inverdade como doutrina até, mas é sabido que para algo ser doutrinário deve ter embasamento bíblico e, claro, isto não tem. Por muitos anos fomos considerados como criaturas por algumas denominações, justamente por não sermos considerados por estes como irmãos. Ainda este termo, criatura, até hoje é atribuído por grande parte dos evangélicos para denominar aqueles que não professam a mesma fé.

E a própria Bíblia sugere que quem está de pé deve tomar cuidado para não cair. (I Coríntios 10,12)
E tomar cuidado significa não apenas vigiar e fugir do mal, mas procurar analisar todos os fatores para se prevenir da queda, que é iminente, já que é uma característica humana.
Janeiro 2011


Gratos pelo cometário

Siga-nos no Twiiter