Translate / Traduza

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social
Uma Obrigação que deveria ser um prazer.
"Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo" – Gálatas 6.2
É nossa a responsabilidade de atender aos necessitados. Não devemos despedi-los de mãos vazias quando se aproximam de nós. Quando Jesus subiu ao monte e foi acompanhado por uma grande multidão, falou-lhes de maravilhas, ensinou-lhes o caminho do Céu, curou-lhes as enfermidades, sanou-lhes as feridas emocionais, mas a noite aproximava-se sorrateira, seguindo sua eterna ordem natural, a tarde findava e algo começou a oprimir aquele povo, algo muito humano: a fome. Os discípulos aconselharam ao Senhor despedir o povo, mas disseram-lhe o motivo: eles tinham fome.
Jesus não entendeu a preocupação daqueles homens – ou fez que não entendeu – mas mandou que os próprios discípulos os alimentasse (Mateus 14-16). Jesus estava nos dando mais uma lição importante. Não podemos responsabilizar a terceiros pelas almas que alimentamos da Palavra. Quando eles apresentam outras necessidades, as mais básicas, as mais humanas, devem também serem assistidos. Não devemos encaminhá-los aos outros, a responsabilidade é nossa enquanto Igreja.
Sim, Jesus nos dá uma lição de moral incrível, falamos bonito, alegramos a multidão, mas na hora de praticar o verdadeiro amor as despedimos para que vão a outrem buscar assistências? E atenção, não é dar ajuda a quem é membro de nossa igreja, e sim ajudar aos que nos cercam, independente de qualquer critério. Sim, assim como Deus não nega a chuva e o sol aos que não o seguem, devemos estender a nossa mão e alcançar a todos.
Deveria ser normal, no meio cristão, termos grandes ministérios de ajuda. Veja um novo exemplo, que agora Ele dá aos que foram beneficiados com o milagre da multiplicação de pães e peixes: Junta o que sobra em cestos e o pouco de um e o pouco de outro, enchem 12 cestos. Esta lição é para quem recebe uma ajuda, sempre temos algo ainda para oferecer a alguém que sofre mais que nós, seja isto, uma palavra, um carinho ou mesmo parte daquele auxílio que recebemos e não vamos usar mais. Não devemos desperdiçar as bençãos, sejam elas quais forem ou de que tamanho forem, pois há sempre alguém precisando de algo e mesmo que nos sintamos pequenos e inadequados, teremos sim algo para oferecer a alguém.
Diferente dos programas sociais existentes, que procuram melindrar os sentimentos humanos, tornando as pessoas dependentes de míseras ajudas, Jesus alimentou a multidão, mas deu-lhes uma grande responsabilidade: ajudar também.
Maravilha de ensinamento. Serviu aos discípulos, que pretendiam deixar aquelas pessoas à sua própria sorte e, às pessoas, que souberam que podiam sim ajudar alguém e, mais importante, chegou até nós!

Gratos pelo cometário

Siga-nos no Twiiter